quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Não sou obrigada...


Trabalhando com relações humanas e sentindo muita, muita falta dela no trato do dia a dia fui procurar no dicionário o significado da palavra “obrigado”. Juro que fui pesquisar com um pensamento tão positivo que ao consultar sua real definição fiquei bem decepcionada. Fiz até esta carinha do emoticon do WhatsApp, esta bem aqui ao lado...

E por que fiz a carinha à lá WhatsApp? Porque nem o “pai dos burros” dá um crédito positivo ao iniciar a definição desta palavrinha, que está tão sumida ultimamente. Logo sai disparando que é algo que se obrigou, imposto por lei, imposto pela arte, uso ou convenção; necessário e forçado.

Não sei se você vai concordar, mas a definição inicial do tal Aurélio – do famoso “obrigado” – confronta diretamente o que nossas mães, pais, tios e avós nos ensinaram há bastante tempo. Quando nem sabíamos falar direito, já entendíamos perfeitamente que o “obrigado” era algo positivo, até precioso e que ia além de um sinônimo de boa educação diante às relações diárias, no trato com o próximo. Não era imposto, apenas reflexo de uma relação de troca entre duas pessoas.

Na infância o dizer “obrigado” – de forma sincera! – era algo mágico, lúdico e que despertava sorrisos. Era algo tão mágico que só podíamos dizer para retribuir algo vivenciado. Contudo, quando chegamos à vida adulta, esta palavrinha que era tão mágica e refletia sentimentos de agradecimento, gratidão ou reconhecimento fica endurecida, fria e se torna, apenas, o particípio de se obrigar a algo e que envolve poder, força e imposição. Situação fortalecida pelas primeiras definições do nosso querido dicionário.

E apesar de respeitar e agradecer imensamente o conhecimento do tal nobre glossário de vocábulos, não vou me sentir imposta a aderir suas definições iniciais ao "obrigado". Prefiro mesmo é ficar com o entendimento passado pelos meus pais, tios e avós. Afinal, pelo menos para mim, o "obrigado" ainda continua a ter aquele sentimento mágico (e do qual eu tanto sinto falta!)...

7 comentários:

Andre Greco disse...

Obrigado pelo belíssimo texto, desta vez o Aurélio está errado rsrs

Rosangela A. Martins Nogueira Grigolleto disse...

Ótimo texto.

Gabriela Angeli disse...

Rô e Andre Grego, super obrigada pelo carinho! ;)

Anônimo disse...

Vc pode não ter gostado da explicação do dicionário, mas vir falar do Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, lexicógrafo, filólogo, professor, tradutor, ensaísta e crítico literário brasileiro, autor do Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa e membro da Academia Brasileira de Letras, como um tal de Aurélio é o fim da picada, apenas pq não viu o significado lírico da palavra "obrigado", me poupe, citou ensinamentos dos pais, mas parece que em se tratando de respeito a personalidades brasileiras de grande valor não aprendeu nada, pesquise para saber quem foi esse cara.

Gabriela Angeli disse...

Olá, Anônimo, boa noite!

Oi, Anônimo, boa noite! Agradeço o seu comentário e respeito sua opinião sobre "este cara", como escreveu. Aprender é sempre bom e espero fazer isto até meu falecimento, pois quem pensa que sabe de tudo (na realidade) não sabe de nada. E aprender é muito mais do que está descrito em livros ou que é fruto do trabalho árduo de pensadores, poetas ou personalidades brasileiras, como bem disse; a literatura é muito vasta, versátil e agrega conhecimento, mas não sabedoria à vida. Acrescenta, mas não é tudo. Pode não concordar comigo, mas a vida é bem mais do que está nos livros; o aprendizado real, aquilo que vale a pena, está no dia a dia e envolve lidar com respeito com o próximo, aprender com os mais velhos e mais novos, a querer ser melhor e fazer isto na companhia de seus entes queridos. E aceito sua crítica!

Rô e André, também os agradeço pelo carinho de sempre!

Aloique Santos disse...

Pra mim a palavra “obrigado " significava uma palavra boa , de agradecimento de uma boa ação ..más agora parei pra refletir sobre isso e fiquei triste ao saber o verdadeiro significado pois eu sempre agradeço assim com essa palavra ...agora vou achar uma outra pra poder usar como forma de agradecer alguma coisa .

Gabriela Angeli disse...

Aloique, agradeço sua visita e seu comentário! Não precisa achar outra, se não quiser. Quem sabe não conseguimos, por meio de nossas ações, tornar a primeira definição a que tanto desejamos!?!? Desejo pretencioso este, porém quem sabe um dia! ������ Um beijo e obrigada mais uma vez!