sexta-feira, 13 de novembro de 2015

O mundo está ficando chato...

Estava a falar com a minha chefe quanto à conclusão de um atendimento de ouvidoria e, na mesa dela, após verificarmos que o atendimento em questão estava correto e que o reclamante não tinha razão em seus recursos, chegamos à conclusão que o problema não era o atendimento, mas o fato de que o mundo está ficando muito chato ultimamente. E chato de galocha, muito chato mesmo, do tipo que – nunca, nunca! – deve ser contrariado em suas vontades para não ficar ainda mais chato. 

E o mundo não está assim porque é uma característica dele. Nada disso. O mundo – apesar de cruel e continuar lindo em muitas de suas partes – já foi um lugar bem mais fácil, simples e real. Nele as pessoas já fizeram comida com banha de porco sem se preocupar, já compraram fiado, o dólar era bem baixo, tinham como único creme hidratante o Nivea e – o MELHOR! – as pessoas só tinham que passar filtro solar quando iam para a praia (e só na hora que chegava)...

Mas algo mudou no mundo e parece que ele chegou à adolescência. Está naquela fase que apesar de parecer rápido e vigoroso, “se acha” além da conta e detém todo o conhecimento disponível (pois estudou para isto). Está cheio de especialistas em coisa nenhuma, repleto daquela atitude que sabe de tudo (por ter a informação em suas mãos, o tempo todo), com os sentimentos à flor da pele (emocionais e sexuais) e pensa que tudo é permitido, desde que seja de seu agrado.

E mundo – ah, mundão! – você está cheio de problemas que cria para si e para os outros, sem dialogo porque não sabe ser contrariado, cheio de ilusões e de coragem para agir e falar o que pensa. Contudo, esta coragem só surge atrás de uma tela com acesso à internet, pois no mundo real a coragem vira "sorrisos" e falsidade. E quer coisa mais chata que sorriso amarelo?!?  Só tentar viver e conviver neste mundo que está chato “pakas”, muito chato mesmo por conta das pessoas que o habitam...

Nenhum comentário: