Postagens

Mostrando postagens com o rótulo TV

Me deixa ser a primeira, por favor?????

Era uma vez uma criança bem birrenta que queria ser a primeira em tudo. Bastava estar entre as irmãs para tentar ser a primeira a falar algo, a primeira a dar uma idéia e a primeira a escolher a brincadeira. Para esta criança tudo o que importava era estar na frente, principalmente se batesse ou conseguisse se antecipar a irmã do meio e a mais velha. Enfim, queria ser a primeira a qualquer custo.
O problema é que ela raramente conseguia estar no primeiro lugar. Nos jogos sempre era a terceira, às vezes até a segunda, mas quase sempre estava na terceira posição. Na realidade fazia de tudo para assumir o posto da primogênita: saia por aí falando mal da irmã mais velha e da segunda irmã, vivia afirmando que era melhor que elas, chorava, fazia drama, comédia, apelava em diversas situações e até mentia que estava próxima de chegar onde desejava.
Ainda hoje, apesar de crescer um pouco mais a cada dia, não consegue enxergar o próprio umbigo e continua a fazer drama e sensacionalismo para cha…

Hoje é dia de Capitu...

Fiquei empolgada com a minissérie ‘Capitu’, que será exibida hoje à noite sabe se lá que horas. Vi algumas fotos da produção e das locações e fiquei encantada com a proposta que mescla irreal, antigo e atual. Tudo bem que parece lembrar bastante (ou é igual a) ‘Hoje é dia de Maria’, porém isso me deixa ainda mais curiosa para saber como os personagens serão trabalhados desta vez.

Li Dom Casmurro quando ainda nem estava no colegial e não me arrependo de ter escolhido esta obra para me apresentar aos maravilhosos textos de Machados de Assis. Para dizer a verdade nunca gostei muito de histórias romantizadas (até hoje não sou muito fã), mas posso dizer que o sarcasmo disfarçado e a habilidade em montar um bom roteiro fizeram com que eu admirasse este autor. Da mesma forma que José Lins do Rego, Machado de Assis sempre conseguiu me seduzir com suas palavras e foi um dos responsáveis por eu gostar tanto de literatura brasileira.

Com certeza hoje durmirei bem tarde...

E eu que queria ser ela...

Bonita como ela só, não perde tempo com besteiras. Vai logo ensaiando o que falará às várias pessoas que aguardam suas palavras, sentadas confortavelmente nas poltronas de sua sala. Ela nem ao menos sabe se prestaram atenção ou não em seu discurso.

Mesmo observada por todos os lados, não fica envergonhada e conversa sobre tudo com todos. Sabe que são as conversas que guiarão suas inspirações e sua mensagem, não há como duvidar disso. Não demora muito para que dê as ordens para registrar a informalidade alheia, já que não pode individualizar as informações que acabara de receber. Este é seu trabalho.

Observando de longe não tenho como dizer se ela é bacana ou não, se gosta do que faz ou se acha todo este processo uma chatice. Também não sei dizer se ela sabe o quanto ouvir Cindy Lauper é divertido, se gosta de chocolate ou se sente cólica de vez em quando. Será que ela canta no chuveiro? Não sei, apenas tento imaginar o que passa em sua mente, mas só consigo refletir se pelo menos ela re…

Mais homens na TV, por favor!

Não, não sou machista ou vou pedir que goo goo boys saiam das suas casas noturnas para rebolarem na TV, definitivamente não é isso. Aliás, meu comentário é breve e passa justamente a imagem contrária...

Acho que não sou a única mulher que já está cansada de outras com pouca roupa por ai, mostrando seus atributos naturais em campanhas publicitárias, em comerciais de cerveja e em programas televisivos, enchendo a poupança de dinheiro. Acho que também não estou sozinha a pensar que cada vez mais as popozudas dominam nossas vidas e a TV, pois sempre estão lá no canto do palco rebolando e dançando como loucas descompassadas e tomaram conta dos humorísticos e programas esportivos.

Isto não é uma generalização, até porque muitas são ‘boas’ também no sentido profissional - como diriam uns amigos meus - e até concordo que grande parte é bonita e talentosa. Entretanto, muitos programas e propagandas publicitárias pecam ao explorar a mulher como uma coisa sem cérebro, sem capacidade de raciocínio,…

Desligue a TV e vai ler um livro...

Há quatro anos eu não sabia o que era chegar em casa tranquilamente e assistir um pouco de televisão após o trabalho, já que os últimos foram dedicados totalmente à faculdade de jornalismo e a todas as atividades possíveis que ela me oferecia (sim, sempre fui nerd! rs). Contudo, cada vez mais fico decepcionada ao ver canais que repetem fórmulas antigas de histórias, outros que apelam ao irreal e, principalmente, com os que usam o corpo de mulheres e homens e o assunto ‘sexo’ para alcançar o máximo de audiência.
É incrível disto tudo é justamente a forma como o sexo é tratado hoje em vários lugares, o que me incomoda bastante. Não sou puritana, acho que todos podem ser livres para fazerem o que quiserem, mas tratar isso como forma de status, luxo, riqueza e como diferencial da sua personalidade já é outra coisa...
Na realidade muitas pessoas utilizam o tema sexo para parecerem modernas e avançadas, à la Sex in the City, fogem da sua própria idéia para estar na moda. Aliás, nunca havia a…

Air Guitar, no Fantástico

Durante uma conversa com a Márcia, uma grande amiga minha, surgiu um papo animado sobre 'air guitar' - para quem não sabe é quando as pessoas tocam uma guitarra imaginária (aposto que você já fez isso, mesmo que inconscientemente! risos).

Adivinhe? Decidi escrever uma matéria inusitada sobre este tema. Foi então que entrei em contato com o Fausto Carraro, o cara que mais entende do assunto no Brasil. Pode até parecer brincadeira, mas 'air guitar' é levado tão à sério que existem campeonatos em diversos locais, dentro e fora do país.

Mandei um e-mail para ele e desde então conversamos sobre o tema. Ele me deu várias dicas e explicou exatamente tudo sobre o assunto, foi fundamental para que eu soubesse o que de fato é o 'air guitar'. A matéria está em fase final aguardando o retorno de apenas duas fontes, mas em breve postarei minha pesquisa aqui...

Bom, na realidade só queria falar sobre esta matéria depois que ela fosse finalizada, mas não poderia deixar de falar …