sábado, 28 de fevereiro de 2009

Bom dia para você também...

Pedro era o típico homem que gostava de preservar alguns costumes. Diariamente, a caminho do trabalho, fazia questão de dizer “Bom dia” a todos que passavam ao seu lado, mas raras eram as vezes que recebia uma resposta; poucos eram os sorrisos verdadeiros. Apesar de quase sempre ser ignorado ou pensar que falava com o nada, Pedro não conseguia perder este costume que fazia questão de fomentar todos os dias, desde os tempos em que sua mãe ainda puxava sua orelha.

No elevador do prédio no qual trabalhava continuava a exercitar os bons modos aprendidos em casa, mesmo sabendo que estava cada vez mais difícil. Cansado de desejar bom dia e tentar perpetuar algo que parecia ser impossível, resolveu se adaptar à realidade atual e mudou seu jeito de agir.

Ao caminhar no outro dia pela mesma rua de sempre, nem mais uma palavra saia de sua boca. As pessoas o encaravam esperando o momento certo para o ignorarem, mas agora se sentiam invisíveis e incapazes de mudar o dia de alguém; passaram a sentir o triste ritual de ser ignorado.

Com o passar dos dias, entretanto, Pedro ficou mais triste e preferia ser ignorado a deixar de dar bom dia a alguém. Era ridículo continuar com aquela ideia que só prejudicava seu jeito natural de ser. Preferiu rever sua postura e voltou a ser como antes.

Já na manhã seguinte, ao caminhar para seu trabalho, percebeu que algo havia mudado. Sorrisos passaram a cruzar seu olhar junto a um cumprimento que antes parecia ser nulo no dia daqueles desconhecidos. Antes mesmo que abrisse a boca para deixar sua voz saudar a nova manhã, seus ouvidos recebiam a mensagem que há tempos fazia questão de dividir com as pessoas que cruzavam seu caminho. Para Pedro era o início de novos bons dias, era a confirmação de que seus instintos não estavam tão errados assim.

6 comentários:

Luna disse...

Sabes, eu tambén tenho a velha e demodé costume de cuando chego ou entro num lugar, saudar.
Normalmente o silencio é a reposta, mas eu sigo fazendo sempre a mesma coisa, o faço näo por êles, mas por mism...
O outro dia andava con minha netinha de 5 anos a comprar num comércio.
Entramos, eu disse Bom dia, ela tambén disse Bom dia, e ninguém repondeu.
Entäo, ela falando alto, como falam as ciranças, me disse:
Vovó porque estas pessôas säo täo
mal-educadas e näo me däo os bons dias?

Eu disse, meu amor, näo repara, mas você sim é muito educada....
Ficaram com uma cara....
As crianças sempre dizem a verdade... em voz alta.

Um beijinho

Gabriela Angeli disse...

Eu também tenho a mania de falar bom dia e receber em troca nenhuma manifestação boa. Pena que nós adultos nem sempre podemos dizer as coisas em voz alta, é um sufoco! rs

Um beijo enorme!
Gabi.

Márcio Luiz Soares disse...

Eu também tenho esse costume de saudar as pessoas e me sinto um pouco incomodado quando não respondem, ou quando respondem de má vontade. Mas nem por isso mudei meu jeito: gentil, atencioso e educado. E quando após o bom dia a gente pergunta "tudo bem?" e as pessoas nem dão bola? Já nem me importo mais, dou um desconto. rs

Armando Maynard disse...

Educação e bons modos, começam muitas vezes pelo cumprimento. Foi isso que nossos pais nos ensinaram e temos sim que por em prática quer respondam ou não a nossa saudação. É que infelizmente nem todos tiveram a oportunidade de ser educados como nós fomos. Façamos a nossa parte e quem sabe, com o tempo não comecem a nos imitar. Nada como semear a boa educação e os bons modos, pois o fazemos naturalmente. Já os outros sem ter o hábito, levarão um tempo para aprenderem. Um abraço,Armando.
[recomentarios.blogspot.com]

Gabriela Angeli disse...

Oi, Márcio! É duro se sentir invisível ao desejar coisas boas para outra pessoa, me incomodo muito com isso. Entretanto, com o tempo, aprendo a contornar a situação, pois se tratamos as pessoas com ainda mais educação elas ficam constrangidas, mesmo sem dar o braço a torcer...

Um beijo e obrigada pela visita!
Gabi.

Gabriela Angeli disse...

Oi, Armando! Educação é a base para a construção de qualquer caráter e, por isso, concordo contigo: nem todos aproveitaram a chance de aprender os bons modos ou nem tiveram esta oportunidade, infelizmente.

Aos poucos vamos ensinando como é que se faz! rs

Um beijo e obrigada pela visita,
Gabi.